Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Categoria A/A2 + B

Documentação necessária:

  • Documento de Identificação;
  • Contribuinte;
  • Atestado Médico;

A categoria B, da carta de condução, permite conduzir:

  • Automóveis ligeiros, a que pode ser atrelado um reboque com massa máxima autorizada não superior a 750Kg ou, sendo esta superior, desde que a massa máxima do conjunto formado não exceda os 3500Kg;
  • Triciclos a motor de potência superior a 15KW, se o titular for maior de 21 anos;
  • Veículos da categoria A1, se o titular for maior de 25 anos, não o sendo, se for titular da categoria AM ou de licença de condução de ciclomotores;
  • Veículos das categorias AM e B1;
  • Tratores agrícolas ou florestais simples ou com equipamentos montados, desde que a massa máxima do conjunto não exceda os 3500 Kg;
  • Tratores agrícolas ou florestais com reboque ou com máquina agrícola ou florestal rebocada, desde que a massa máxima do conjunto não exceda 6000 Kg;
  • Máquina agrícola ou florestais ligeiras, motocultivadores com reboque ou retrotrem, tratocarros ou máquinas industriais ligeiras.
  • Os titulares da carta de condução da categoria B com mais de 21 anos e, pelo menos, 3 anos de habilitação na mesma categoria podem conduzir veículos com massa máxima autorizada superior a 3500Kg e até 4250Kg, desde que tais veículos se destinem exclusivamente a fins de recreio ou a ser utilizados para fins sociais prosseguidos por organizações não comerciais;

A categoria A2, da carta de condução, permite conduzir: Motociclos de potência máxima não superior a 35kW, relação peso/potência inferior a 0.2kW/kg, não derivados de versão com mais do dobro da sua potência máxima.

ou 

A categoria A, da carta de condução, permite conduzir: Todos os motociclos sem restrição.

Para obter esta categoria é necessário possuir a idade mínima de 18 anos, podendo inscrever-se durante os 6 meses antecedentes, ou seja, aos 17 anos e meio. A par disso, o candidato deve residir em território nacional, possuir aptidão física e psicológica, e claro, obter aprovação no exame prático de condução.

Em relação às aulas teóricas, estas são presenciais e o candidato deve frequentar pelo menos 32 aulas e, posteriormente, realizar um exame teórico composto por 40 perguntas. Com o exame teórico/código pretende-se verificar se o candidato possui conhecimentos elementares sobre circulação rodoviária, relativamente a vários domínios do saber, entre eles, o saber-saber, o saber-fazer, o saber-ser e o saber-estar. A aquisição destes domínios é fundamental para que o candidato pratique, posteriormente, uma condução segura, tanto para o próprio como para os demais utentes da via.

Após aprovação no exame teórico, segue-se o exame prático, depois de o aluno concluir as aulas de condução necessárias (pelo menos 32 aulas ligeiros + 12 aulas motociclos).

Nesse preciso momento, o candidato deve estar preparado para pôr em prática técnicas de condução defensiva, isto é, ajustar o seu comportamento às situações que vão surgindo durante o exercício da condução, a fim de evitar conflitos e irregularidades no trânsito.

Neste sentido, algumas das exigências mínimas para a realização do exame prático são:

Prova de manobras especiais, referentes à segurança rodoviária (incide na realização de algumas manobras como a marcha atrás, estacionamento do veículo e saída em marcha à frente, mudança de direção, mudança de via de trânsito, circular ao lado de obstáculos, entrar e sair de autoestradas ou vias idênticas, posicionar-se e avançar corretamente em cruzamentos e entroncamentos, entre outras manobras); enfrentar eventuais características especiais da via pública (a passagem em rotundas, passagens para peões, passagens de nível, paragens de transportes públicos coletivos, inclinações acentuadas); tomar as precauções necessárias ao sair do veículo; demonstrar conhecimento e proceder à verificação do limpa-para-brisas, estado dos equipamentos, sistema de direção, sistema de travagem, fluidos, luzes, indicadores de mudança de direção, entre outros; regular o banco, espelhos retrovisores e cinto de segurança e confirmar se as portas estão fechadas.

Atualmente, existe a consciência na sociedade de que conduzir é uma necessidade imprescindível tanto a nível profissional como pessoal. De facto, os conhecimentos, habilidades e capacidades que cada um de nós adquire ao longo da vida, distingue-nos dos demais. Saber conduzir pode marcar a diferença!

Portanto, na Era da globalização, uma das exigências que se impõe ao cidadão é a adaptação a novos contextos, em que cada pessoa deve apostar na melhoraria das suas habilitações e conhecimentos, a fim de estar preparado para a mudança. É neste contexto que a carta de condução pode ser uma mais-valia.

Tabela de preços

Carta de condução 750,00 €
Taxa prova teórico 80,00 €
Taxa prova prática Ligeiros 100,00 €
Taxa prova prática Motociclos 100,00 €
Atestado Médico oferta
Livros e Moodle oferta

Formas de pagamento

Pronto pagamento (oferta taxa prova teórica) 950,00 €
Em 2 (duas) mensalidades de  515,00 €
Em 3 (três) mensalidades de 343,34 €
Em 4 (quatro) mensalidades de 257,50 €

Categoria A

Todos os motociclos sem restrição

Documentação necessária:

  • Documento de Identificação;
  • Contribuinte;
  • Atestado Médico;
  • Carta de condução;

Para obter a categoria A – sem limite máximo no motociclo (relação potência/peso) – é necessário possuir a idade mínima de 24 anos (podendo inscrever-se durante os 6 meses antecedentes, isto é, aos 23 anos e seis meses de idade) ou 20 anos, desde que possua 2 anos de habilitação da subcategoria A2 (descontando o tempo em que tenha estado proibido ou inibido de conduzir, através de processo de autopropositura).

A par disso, o candidato deve residir em território nacional, saber ler e escrever, bem como possuir aptidão física e psicológica.

Relativamente às aulas teóricas, estas são presenciais e o candidato deve frequentar, pelo menos, 9 aulas, e realizar, posteriormente, um exame teórico composto por 10 perguntas, em que pode errar até 1.

Os titulares da subcategoria A1 e  A2 ficam dispensados da frequência das aulas teóricas/código e do respetivo exame, tendo unicamente de realizar as aulas práticas – pelo menos, 12 aulas e 200km (os quilómetros são divididos pelas 12 aulas).

O exame prático contém algumas exigências mínimas, tais como, prova de manobras especiais (deslocar o motociclo sem ajuda do motor, caminhando ao seu lado, estacionar, executar manobras em marcha lenta e elevada); enfrentar eventuais características da via pública (rotundas, passagens para peões, passagens de nível, paragens de transportes públicos coletivos, inclinações acentuadas, entre outras); comportamento no tráfego (conduzir em curvas, mudar de direção, ultrapassar ou cruzar com outros veículos); preparação e controlo técnico do veículo para a segurança rodoviária, ajuste do equipamento de segurança (como luvas, botas, vestuário e capacete); proceder a verificações aleatórias sobre o estado dos equipamentos do veículo (como pneumáticos, sistema de travagem, sistema de direção, corrente, indicadores de mudança de direção, entre outros).

Depois de aprovado no exame prático, o titular da categoria A fica habilitado para conduzir triciclos e todo o tipo de motociclos – simples ou com carro lateral – sem qualquer restrição quanto à relação potência/peso.

Quando adquirir o primeiro motociclo, recomendamos que tenha em atenção alguns aspectos de segurança, como por exemplo, chegar bem com os pés ao chão quando está sentado no motociclo.

Existem muitas outras sugestões/recomendações que são referenciadas ao longo das aulas teóricas e práticas.

Com a formação em veículos de duas rodas pretende-se que o candidato adquira conhecimentos e práticas de comportamento, a fim de desenvolver uma condução responsável, segura e agradável, tendo sempre em conta que o imprevisto é o que qualquer condutor tem como o mais certo.

Tabela de preços

Carta de condução 260,00 €
Taxa prova teórico 80,00 €
Taxa prova prática 100,00 €
Atestado Médico oferta
Livro e Moodle oferta

Formas de pagamento

Pronto pagamento (oferta taxa prova teórica) 360,00 €
Em 2 (duas) mensalidades de  220,00 €
Em 3 (três) mensalidades de 146,67 €
Em 4 (quatro) mensalidades de 110,00 €

SABIA QUE PODE FICAR SEM CARTA DE CONDUÇÃO POR FALTA DE RENOVAÇÃO?

A renovação da carta de condução é uma inevitabilidade para quem conduz. É daquelas coisas que vai acontecer, mas a que não ligamos. Até que, damos por nós a dias da carta caducar. Ou mesmo sem saber que já o devíamos ter feito.

Nos últimos anos surgiram bastantes modificações, nomeadamente em relação à idade em que a carta deve ser renovada. Assim, tudo depende do ano em que tirou a carta e da respetiva categoria. No entanto, continua a existir um grande desconhecimento sobre este tema, com consequências sempre desagradáveis.

Conduzir sem carta? Pode ser o seu caso

No final de 2018, o Jornal de Notícias1 dava nota que a PSP e a GNR tinham detetado quase 8 mil condutores com carta de condução caducada. A maioria não tinham noção de que a lei obriga a revalidar a carta antes da data assinalada na licença de condução. Sem discriminar a estatística, a GNR detetou cerca de 3.042 condutores sem habilitação legal de condução. No entanto, a PSP registou 1.238 contraordenações a condutores com a carta caducada há menos de 5 anos e 3.432 condutores que deixaram passar mais de 5 anos sobre a revalidação da carta ou que nem sequer possuíam licença de condução.

Apesar da lei ser explícita, o descuido ou desconhecimento levam a deixar passar com frequência a data de renovação da carta de condução.

Revalidar ou consequência?

De acordo com o IMT (Instituto da Mobilidade e dos Transportes)2, pode renovar a carta até seis meses antes da data de validade da licença de condução. Apesar de, normalmente, antecipar a idade depois dos 40 não ser uma “modalidade” muito popular entre os condutores dos “entas”, há vantagens em fazê-lo. A primeira é o “descanso”. Isto porque se deixar passar o prazo de revalidação e for conduzir está a cometer uma infração ao abrigo do artigo 130.° do Código da Estrada.

Está na hora de renovar? O que preciso saber?

A renovação da carta de condução respeita regras definidas pela lei e depende do tipo de veículo que é conduzido. Assim, se a sua carta é de categoria A ou B, a idade para a renovação da mesma será diferente da categoria C. Além disso, o ano em que ficou habilitado de conduzir vai “mexer” com a idade de revalidação.

Uma das ideias que deve ter presente é que a data de renovação da carta inscrita no seu documento não corresponde à data que, à luz da nova lei, deve fazê-lo. Para tal, fique a saber quais as datas em que deve renovar a carta de condução. Por outro lado, são necessários determinados documentos. Para não ser surpreendido, consulte os documentos que terá de apresentar para a renovação da carta de condução.

Revalidação da Carta de Condução